quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

ERISIPELA

Erisipela é uma forma de celulite superficial estreptocócica e o agente causal é o estreptococo beta-hemolítico do grupo A de Lancefield. Ocorre habitualmente na face e nos membros inferiores. A infecção é universal e não tem maior prevalência em determinado grupo etário. É muito comum em obesos, diabéticos, com insuficiência circulatória de extremidades.
A penetração do estreptococo para produzir erisipela ocorre por soluções de continuidade da pele (fissuras, escoriação, intertrigo, lesões micotizadas e com maceração).

Como evitar a infecção? 

Como a porta de entrada para a infecção bacteriana são lesões decorrentes de cortes, quedas, arranhões, etc, a melhor maneira é evitar que tais acidentes ocorram. No entanto, caso ocorram estes acidentes, deve-se fazer uma higienização imediata do ferimento para que haja o fechamento mais rápido da lesão, evitando assim a infecção bacteriana. Entretanto, especialmente na presença de fatores predisponentes, a erisipela pode cursar com recorrências freqüentes, existindo diversos relatos de profilaxia eficaz dessas, através do uso prolongado de antibiótico. Assim, a proteção conferida pela profilaxia restringe-se ao período em uso de antibióticos, de modo que esse deve ser usado por tempo indeterminado. A profilaxia deve restringir-se a pacientes com fatores predisponentes bem definidos após a primeira ou segunda recorrência, ou naqueles sem fator predisponente definido, mas com uma inequívoca tendência a recorrência crônica e freqüente.

Tratamento

1) Repouso absoluto no leito, principalmente quando o processo acomete o membro inferior;

2) Antibioticoterapia: a droga de escolha é a penicilina e a dose é variável de acordo com a intensidade do quadro. Pode ser associada sulfa de eliminação lenta (sulfadimetoxina) após a fase aguda, para evitar a recaída, é conveniente administrar penicilina durante três ou quatro semanas, sob a forma de penicilina de eliminação lenta (Penicilina Benzatina 1.200.000 UI uma vez por semana ou sulfadimetoxina, o equivalente de 0,5 a 1,0 g/dia).

3) Nos casos de erisipela do membro inferior é necessário que o doente mantenha os pés elevados à noite e , se houver edema vespertino, deve usar por algum tempo meia elástica. Em caso de alergia à penicilina ou à sulfa, empregar outros antibiótoticos, tais como eritromicina.

O quadro extremo e dramático de elephantiasis nostras é consequente a numerosos surtos de erisipela em pacientes com vulnerabilidade vascular congênita ou familiar.

Quais os métodos caseiros que podem ser utilizados para melhorar os sintomas? 

Repouso
Manter as pernas elevadas quando os membros inferiores são acometidos para facilitar o retorno venoso e evitar o agravamento do edema. A pele deve ser protegida contra traumas e coçagens, principalmente quando se trata de crianças. O uso de luvas é indicado para crianças assim como o corte rente das unhas.

Quando há lesões superficiais abertas, usam-se localmente compressas mornas de permanganato de potássio, (1: 8.000), água de Alibour (1: 8) e pomadas de Óxido amarelo de mercúrio a 1% ou de antibióticos 

(Rifamicina, ácido fucídico). O permanganato de potássio é um método seguro porque, além de ser anti-séptico, promove uma cicatrização mais rápida da lesão.

Utilizam-se também bolsas de gelo e compressas frias. A água utilizada deve ser previamente fervida e depois resfriada para evitar uma contaminação ainda mais grave da lesão.

Os antibióticos de uso externo devem ser usados com cautela e de acordo com orientação medica.



============ ========= ========= ========= ========= ========= ========= ==

Tratamentos naturais

1 - INHAME - O melhor remédio para esta doença de pele, além da reza, é alimentar-se de bastante inhame.

2 - Externamente aplique três vezes ao dia, figo da índia ou tuna ralado.

3 - Argila medicinal, hortelã, saião, sabugueiro, erva-de-bicho, aroeira, cipó-imbé, velame, maracujá e fedegoso.

4 - BABOSA - Coloque a mucilagem da babosa em cima das feridas e coloque gaze por cima para segurar.

5 - ERVA MACAÉ "Leunurus sibiricus" - Indicada nas doenças de pele e erisipela, combater o colesterol e a pressão alta.

6 - Extrato de Aloe Vera + própolis

7 - EMBAÚBA - o chá da folha é remédio para o coração; a flor, para bronquite e tosse (junto com o broto); o suco da raiz aumenta a força do coração, é diurético e melhora a falta de ar; a folha e a casca, contra tosse e asma; e a fruta, a folha e o broto, contra feridas, erisipela, doenças de olhos, diabetes diarréias e corrimentos. 

8 - Melancia - É considerada uma fruta refrescante. A melancia cai bem em dias quentes e para quem quer emagrecer. Ela é uma das frutas mais ricas em vitaminas vendidas no Brasil: vitaminas A, C, B1 (tiamina) , B2 (riboflavina) , B6, B12, niacina, ácido fólico, ácido pantotênico e biotina. As sementes da melancia são utilizadas em algumas regiões do país para fazer uma bebida diurética e vermífuga, denominada orchata. 
É indicada para problemas reumáticos, ascites e obstruções renais. 
Além disso tem interferência no controle da acidez estomacal e bronquites crônicas. 
No tratamento da erisipela aplicar cataplasmas locais da polpa e cascas trituradas. Mas atenção, a fruta deve ser consumida fresca e madura porque se não pode provocar cólicas e disenterias.
Com o uso da melancia em abundância, curam-se ou combatem-se as enfermidades da pele.
Exteriormente, usa-se a melancia no tratamento da erisipelaAplica-se triturada, polpa e casca, em cataplasmas, ou o suco em pinceladas.


9 - MARACUJÁ - Erisipela, Emenagoga: Faça uma infusão com 2 xícaras (café) de folhas picadas de Maracujá (Passiflora edulis) em 500 ml de água SEM SER ABAFADO, pois as folhas quando picadas liberam gás cianídrico, que é venenoso, tomar 2 xícaras (chá) ao dia.

OUTRAS FONTES SOBRE ERISIPELA

Doença de pele que surge quando o sangue está impuro. Um ótimo remédio para esta doença é alimentar-se com bastante inhame. Externamente use figo da índia ou tuna ralado, aplicando sobre o local afetado 3 vezes ao dia. Babosa esmagada sobre a erisipela também é bom. 
Evite alimentos gordurosos, frituras, pimentas e carnes, principalmente a de porco.


ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso. 
2- Evite o uso de recipientes de alumínio. 
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado). 
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.