sexta-feira, 14 de setembro de 2012

HUNZA LAND: A TERRA DA LONGEVIDADE

Hunza Land: onde a vida começa aos 90 anos


Apricot's: frutas e castanhas colhidas em Hunza


   "...o seu fruto servirá como alimento e a sua folha como remédio". - Ez.47.12-Bíblia

   Sabemos que existem em certas regiões do globo, homens e mulheres que, embora aparentando esplêndida juventude, na verdade já ultrapassaram á muito a "casa dos setenta". Contudo, o lugar que mais tem deixado perplexo os gerontologistas, é um pequeno país chamado Hunza Land (Terra de Hunza) ao norte do Paquistão encravado no sopé das montamhas do Himalaya com suas neves eternas nos picos dos montes.
   Em 1916, alguns ingleses que faziam mapas da região do Paquistão, descobriram este pequenino reino incomum. Era um vale paradisíaco, que eles descreveram como sendo o bíblico "Jardim do Éden" na terra.
   As crianças corriam brincando alegremente nas campinas verdejantes de exuberante beleza, respirando a brisa perfumada das matas que envolvia o vale entre as montanhas, e seus olhinhos brilhavam de contentamento.
   As pessoas eram saudáveis. Viviam em média mais de 100 anos, e não havia doenças em Hunza.
   Sua alimentação básica era de cereais integrais, frutas, verduras, castanhas... tudo in natura - eles desconheciam as vitaminas sintéticas (produzidas em laboratórios) e os agrotóxicos e adubos químicos (?) eles nunca, nem tinham ouvido falar "nisso"!?

OS DESCENDENTES DE ABRAÃO E HAGAR
   Esta descoberta mostrou que havia um pequenino grupo de cristãos que viviam nas campinas, com tendas fixas armadas nos sopés das montanhas, e alguns moravam nas grutas destas montanhas.
   Os estudiosos anotaram que a forma deste pequeno grupo (não passavam de 100 almas, entre homens mulheres e crianças) viverem eram idêntica às dos Essênios, citados na Bíblia, que existiam muito antes de Cristo.
   Havia "os curadores" que se vestiam de túnicas brancas e tratavam os males no corpo com panaceias de sucos de apricot's para cada doença, e ensinavam uma oração curativa aos enfermos.
   Um missionário inglês, ajudado por um intérprete, descobriu maravilhado que a oração aos enfermos estava exarada na Biblia, em Números 6:22-27, com algumas variações e dizia: "... e te abençoamos pela nossa semente (descendência) nascida no deserto (Ismael, filho de Hagar com Abrão/Abraão); o Altíssimo te guarde; o Todo-Poderoso ponha em tua face a luz do alto; o Criador seja misericordioso contigo; Yaohu Ul olhe para tí (falava-se então o nome da pessoa) e teu corpo seja agora envolvido pela paz da cura, nesta promessa das bençãos, no nome de Yaohushua.
    É evidente, afirma o missionário inglês, que se trata da passagem em Números 6 versos 22 a 27 sobre as bençãos de Deus prometida aos filhos da promessa, enxertados no ramo da oliveira. Ou seja: os que aceitaram Jesus.

   -Vejamos agora, o que pensam os cientistas-
   Um cientista de Nebraska, o Dr. Ellen Banik, parece estar delirando quando fala de Hunza:
   "... Hunza é uma terra esquecida pela história. Nesse paraiso da juventude as pessoas chegam facilmente aos 120 anos e tornam-se pais aos 90, sendo de notar que as mulheres de 80 anos ou mais tem a aparência das mulheres ocidentais com 40 primaveras. Ninguem ali conhece a cárie dentária e nem os mais velhos dos habitantes tem necessidade de usar óculos.
    Nada sabem sobre doenças conárias, esgotamento nervoso, doenças do estômago, obesidade ou "prisão de ventre" pois gozam de uma saúde soberba, jamais vista entre os povos ditos civilizados.
    O Dr. Banik é médico gerontologista e seu interêsse por Hunza foi despertado ao tomar conhecimento da longevidade incomum, e jamais vista em outra região da terra, daquele povo. Patrocinado por um canal de TV, o Dr. Banik visitou Hunza e ficou maravilhado ao comprovar que tudo que ele ouvira comentar sobre Hunza era realidade e escreveu um livro:

"HUNZA LAND: the fabulous health and youth wonderland of the word" (se desejar veja na Net).

   No livro ele declara que os EUA e outros países modernos estão sumamente "atrasados" não obstante seu progresso material, pois Hunza goza de muito mais saúde, as pessoas são felizes e não sofrem das doenças que infelicitam as pessoas dos países modernos, declarando ainda perenptòriamente: "estou convencido de que a dieta (vegetal sinergética) a que se submete esse povo é o responsável pela saúde soberta que desfrutam e que jamais poderá ser alcançada pela nossa civilização de solos estragados (agrotóxicos e adubos químicos) e comidas enlatadas, tudo carente de elementos vitais. Além disso, nossos processos de cozinhar alimentos destróem efetivamente um percentual substancial de vitaminas e princípios essenciais a vida humana. Estamos cavando nossa própria sepultura com os dentes, completou ele.
    Para nossa satisfação, pelo menos (do Grupo Shalom!) Hunza Land é a prova inconteste de que os adubos químicos e os agrotóxicos, usados largamente nas plantações dos produtos que consumimos é a causa da maioria das doenças que surgiram em nossa civilização tecnológica, e da morte prematura por enfermidades.
   Isto parece mais estranho que a própria ficção, mas Shangri-la - Hunza Land existe. É governada pelo rei Jaman Khan, e a estultícia deste monarca pode ser comparada com a advertência do Eclesiastes que diz: "Ai de tí, ó terra, cujo rei é criança..." [Ec. 10.16] pois ele permitiu que os ingleses e americanos fossem para lá (1920-30) e destruíssem aquele paraiso na terra.
   Eles ensinaram as crianças a comerem hambúrguer, tomarem Coca Cola, estudarem e se formarem, para ter um futuro melhor. (???) Atualmente existem escolas inglesas mesmo nos mais pequenos vilarejos de Hunza, como: Chapursan, Tajik ou Sust, onde as crianças aprendem a serem civilizadas, e quando se tornarem adultas morrerem mais jovens (70 ou 80 anos) com uma úlcera no estômago.

     Os Apricot's (frutas, castanhas, nozes... foto grande do ínício) são vendidos nos EUA e Inglaterra á peso de ouro, literalmente.. Mas o motivo pelo qual os EUA e os súditos da rainha da Inglaterra invadiram o Valle de Hunza é geo-político. Hunza dista apenas 700km da fronteira russa. Na época da guerra fria (1950/60) a russia ameaçou atacar os EUA se eles não deixassem Hunza. Triste e melancólico destino daquele paraiso na terra, dominado pelas ONGs, transvestidos de "bons samaritanos" - Eles implantaram seus costumes entre os agricultores daquele lugar paradisíaco e mudaram seus hábitos, principalmente de se alimentarem. Algumas famílias ainda procuram manter a tradição. As crianças pequenas ainda comem no chão, como mostra a foto, mas no lugar da tradicional "kajit" (uma espécie de peneira trançada com varas) usam uma bacia de alumínio, que os invasores lhes trouxeram. A palavra "arogia" que no Valle de Hunza significa: possuir uma saúde robusta; ter um corpo belo e flexível; gozar de rejuvenescimento e longevidade e um sentimento de paz e alegria interior cada dia que passa, vai desaparecendo, mais e mais destas crianças 

Crianças do Valle de Hunza: o olhar - o jantar 
   Idade cronológica e idade celular: "Nossa exuberante e variada flora é bem mais rica que a dos Hunzas" afirma o Padre Othon que também é botânico, e continua: "Além disso a idade de uma pessoa não se mede de forma alguma pelos anos vividos, mas sim pela condição das células em seu organismo. As células do corpo huamano possuem uma incrível capacidade de se regenerarem por sí próprias no organismo, com um princípio de temperança sadio.
   Se você escolher determinados alimentos da flora silvestre, e souber determinar as boas e as más combinações entre os próprios alimentos, seu corpo fará o resto. Em apenas algumas semanas, usando uma combinação correta destes "Alimentos de Eleição com princípios de temperança" as células rejuvenescem e passam por uma metamorfose de desintoxicação plena. 
   O Padre Othon considerava o princípio de temperança vegetal frugíforo como o ideal para se evitar as "doenças modernas" e completava suas explanações dizendo:
   "A sabedoria do nosso corpo causa assombro no estudante de medicina que olha pela primeira vez no microscópio eletrônico, um "tecido vivo" do corpo humano. Ele observa que nossas células possuem uma inteligência celular instintiva própria. Vê, que ela é capaz de neutralizar as toxinas dos alimentos de péssima qualidade que ingerimos, e além disso ela seleciona apenas as partículas de sais minerais naturais, que porventura exista no alimento."
   Imaginem então, como as células exultarão se lhes "dermos de presente" uma semana de produtos vegetais selecionados "alimentação frugívora" que não tenham sido adubados quimicamente, e nem tenham sidos pulverizados com agrotóxicos.

ADVERTENCIA ACURANATURAL
1- Não utilize a mesma planta ou receita por mais de 15 dias seguidos. Procure outra com os mesmos efeitos e alterne o uso.
2- Evite o uso de recipientes de alumínio.
3- Prepare as receitas na quantidade certa para ser consumidas na hora. (A não ser quando recomendado).
4- Ressaltamos que toda receita alternativa tem o poder de acalmar e amenizar o problema, seja ele uma dorzinha de barriga ou uma grande enxaqueca. É importante sempre lembrar de anotar os seus sintomas e procurar ajuda médica periodicamente para os check-ups. Não nos responsabilizamos pela ingestão das ervas sem o devido acompanhamento terapêutico.